Como beber vodka: um manual de degustação para botar em prática

| Dicas | vodka
A vodka é dos destilados mais injustiçados entre as bebidas. Criou-se o mito de que uma boa vodka é sinônimo de um líquido incolor, inodoro e sem sabor. Seguindo esses parâmetros, qual é a graça de degustar a bebida? A realidade, felizmente, é muito mais complexa e saborosa, e saber como beber vodka vai além da busca de supostos defeitos.

“Originariamente, as vodkas tinham como objetivo entregar neutralidade, ou seja, incolor, sem sabor e sem aroma relevante”, conta Nicola Pietroluongo, Senior Brand Ambassador da Diageo para o Paraguai, Uruguai e Brasil a respeito das raízes da história da bebida sem destaque. “Hoje, elas evoluíram, pois as marcas querem entregar personalidade e qualidade que seja identificável, portanto, sabor e aroma são identificáveis, e isso significa qualidade”.
 

Como beber Vodka: aromas e texturas

Isso não quer dizer, contudo, que seja fácil identificar aromas e sabores em vodkas de personalidade. Enquanto palavras como ‘mel’ e ‘baunilha’ são facilmente ligados ao whisky e termos como ‘terroso’ e ‘floral’ estão conectados à descrição de um gin, a vodka não é uma bebida que entrega logo de cara aquilo o que vamos encontrar em cada rótulo.

Nicola exemplifica o que esperar em termos de aromas em alguns rótulos que você deveria ter no seu bar. “O aroma da Cîroc é puxado para o cítrico, enquanto na Ketel One encontraremos cítrico e apimentado. A Smirnoff, por sua vez, é uma vodka de estilo clássico, portanto, será neutra”, explica o especialista. Vale ressaltar uma particularidade de cada exemplo: a Cîroc é feita à base de uvas; a Ketel One, de trigo; e a Smirnoff, de milho.

Embora os aromas sejam ressaltados – ou colocados em segundo plano – dependendo da matéria-prima do destilado, algo em comum define uma vodka de qualidade: a textura. “O aveludado é uma textura características de vodka de alta qualidade. Sentir a boca salivar é o que buscamos no paladar”, aponta Nicola, que destaca que a característica está presente tanto em vodkas padrão quanto em linhas saborizadas de rótulos premium.
 

Como beber vodka? Do seu jeito (e com responsabilidade)!

Degustar uma bebida sempre levanta uma questão: qual o jeito certo de tomá-la? No caso da vodka, Nicola vai direto ao ponto: “A forma correta é a que mais agrade o apreciador. Coquetéis e com gelo fazem que o destilado seja ressaltado”, ele explica. Contudo, há maneiras tradicionais de degustar o destilado. “Quando pura, costuma-se tomá-la bem fria, guardada no freezer. Nos países do leste europeu toma-se em shots, mas apreciá-la pura com pedras de gelo e uma fatia de limão ou laranja é uma experiência deliciosa”.

Uma grande recomendação para curtir a experiência de degustar vodkas é: invista em rótulos de qualidade para o seu bar. “Há marcas que efetivamente ‘descem queimando’”, pontua o especialista sobre a má-fama de vodkas e bebidas em geral de má-qualidade. “O que há de se evitar é uma presença aromática de álcool. Toques cítricos, levemente apimentados, o salivar no paladar é resultados de qualidade na vodka”. Anotado!

E, claro, beba com responsabilidade.
 
Beba com moderação. Não compartilhe este conteúdo com menores de 18 anos.